Antonio Roque Citadini


Na última partida entre Corinthians e Cruzeiro no Mineirão, o craque Gil marcou o gol número 1.000 do Corinthians em campeonatos brasileiros. Marca histórica que deveria ser comemorada.


E o foi de forma singular. Em reunião festiva na Fazendinha, junto ao gramado e com a presença de todo o elenco de jogadores, do presidente do clube, Alberto Dualib, de diretores e sócios, o jogador Gil recebeu homenagem com placas e prêmios.


Mas não estava só, pois, no mesmo ato, fazendo a ponte com um passado de glórias, o clube homenageou também o artilheiro Carbone, que integrou famoso ataque, juntamente com Cláudio, Luizinho, Baltazar e Mário, realizando tantas façanhas pelo Mosqueteiro na década de 1950.


Carbone assinalou o gol número 100 no campeonato paulista de 1951, quando o alvinegro foi campeão e marcou 103 gols na competição, registrando a incrível média de 3,43 gols por partida. Nada melhor pro Timão que homenagear artilheiros, lembrando-se do passado e do presente de conquistas.


Na oportunidade, o capitão Fábio Luciano homenageou Carbone que, juntamente com Gil, cortou o bolo comemorativo às duas façanhas. Outro homenageado, e que merece ser sempre festejado, foi o presidente Dualib, que adiciona ao seu currículo vitorioso mais um marco: o de presidente do clube quando este chega à marca de 1.000 gols no brasileiro.


OS CONVOCADOS

Na semana da festa houve outro motivo de alegria para a nação corintiana. No mesmo dia da comemoração dos 1.000 gols, seis integrantes do elenco mosqueteiro foram chamados para integrar as seleções brasileiras.


O técnico Carlos Alberto Parreira – que dirigiu o Timão na temporada passada – convocou para a seleção principal: Gil, Kleber e Fábio Luciano. Para a seleção sub-20 foram chamados outros três jogadores do Corinthians: Wendel, Moreno e Coelho.


Importante destacar que das seis convocações feitas, cinco eram de jogadores formados nas equipes de base do Timão. Acrescente-se ainda que seguiram para servir na seleção o prepa-rador físico Moraci Santana e o auxiliar técnico Jairo Leal. Parabéns aos convocados e que sirvam à seleção com a mesma dedicação com que servem às cores do Timão.


O Expresso, Capão Bonito/SP, 14/6/2003.