Antonio Roque Citadini


Na galeria dos heróis corintianos um craque tem lugar especial: Uriel Fernandes, Teleco, o Goleador. Em dez anos no time, de 1934 a 1944, marcou 254 gols em 266 jogos.

Para quem curte números darei mais um: média de 0,95 por jogo, dois décimos acima da obtida por Pelé. Foi artilheiro de cinco campeonatos paulistas e também tricampeão em 37, 38 e 39. Basta de números.

Uma característica de Teleco era a sua capacidade de finalizar, fosse por baixo, no chute ou pelo alto, de cabeça. Também driblava com maestria para ficar em condições de arrematar.

Era de uma dedicação extraordinária, capaz dos maiores sacrifícios pelo time. Pena que não houvesse televisão na sua época para registrar um de seus feitos heróicos. Teipe da Copa do México, de 1970, mostra algo parecido mas com um craque alemão, Franz Beckenbauer.

Tal qual o alemão, Teleco também jogou com um braço imobilizado, em partida do campeonato paulista de 1937. E fez o gol da vitória. Adivinha contra quem. Foi justamente contra o time que o leitor está pensando, seja ou não corintiano. O Palestra Itália.

(Reprodução)

Teleco


O Expresso, Capão Bonito/SP, 01/02/2003.