Antonio Roque Citadini


O Corinthians ganhou dois títulos importantes neste primeiro semestre, o de Campeão da Liga Rio –São Paulo e Copa do Brasil, que o habilita a disputar a Libertadores da América. São os frutos do trabalho de reorganização do time Campeão Mundial, após um período de vacas magras, consequência da saída de jogadores importantes, contra a vontade da diretoria. O atual elenco, formado por muitos jovens revelados no próprio clube e craques já testados, tem condições de dar novas alegrias à torcida.

A vitoriosa campanha corintiana tem um significado que ultrapassa as fronteiras do clube e de sua imensa torcida. A projeção nacional do Corinthians proporciona-lhe rivais não só em São Paulo. É conhecida sua briga particular com o Flamengo, do Rio, pelo primeiro lugar em torcida. Para minha surpresa o título de Número Um neste quesito era dado ao Flamengo, com aval do Ibope.

O clube carioca realmente liderou a torcida brasileira durante décadas, mas há tempos perdeu a posição para o Corinthians, situação agora reconhecida pelo Ibope. A mudança deve-se em parte à localização do clube, uma vez que o Estado de São Paulo tornou-se o centro de gravidade do país.

Ao se reerguer o Corinthians contribuiu para o fortalecimento do esporte, cujo prestígio fora abalado por uma sucessão de crises. Até a audiência dos jogos transmitidos pela TV estava em queda. Os últimos jogos do Corinthians conquistaram audiência acima da registrada pela novela de maior sucesso em exibição.

Como os grandes clubes têm como principal fonte de renda os direitos de TV, a audiência vale por conjuntos de estádios cheios. O esforço do clube foi recompensado e o benefício estendeu-se aos demais participantes. Um bom desempenho da seleção na Copa ampliará as perspectivas de crescimento do esporte com a consequente valorização dos clubes e de seus atletas.


O Expresso, Capão Bonito/SP, 08/06/2002.