Antonio Roque Citadini


Alexandre Magnani, condutor de Tilbury (um tipo de carruagem,o taxi especial da época), foi o segundo presidente do Corinthians e quem o levou da várzea à primeira divisão, por mérito. Para se classificar teve que vencer o Minas Gerais e o São Paulo FC (nenhuma relação com o atual São Paulo). O primeiro presidente foi um alfaiate, Miguel Bataglia que ficou no cargo só 15 dias, cabendo a Magnani o justo título de real criador do Corinthians.

Magnani tinha à sua volta apenas homens dedicados, pobres como ele e mesmo assim conseguiu meios para dar ao novo clube infraestrutura capaz leva-lo a competir com os clubes da elite, como o Germânia e o Paulistano. Já em 1914, apenas quatro anos depois de sua fundação, o Corinthians ganhou o seu primeiro campeonato paulista e invicto.

Formado por gente humilde, o clube manteve-se fiel às suas origens e ainda hoje seus órgãos dirigentes são ecléticos. Há nos Conselhos do clube pessoas de posição de relevo na sociedade, como grandes empresários, profissionais liberais bem sucedidos, e simples empregados do comércio, indústria, bancos ou donos de pequenas empresas.

Uma amostra perfeita da composição heterogênea do clube é o estacionamento da sua sede, no Parque São Jorge. Os modelos vão dos recém lançados e caros aos sobreviventes do início da indústria automobilística no Brasil, nos dourados anos JK.


(Reprodução)

O presidente Alexandre Magnani.


O Expresso, Capão Bonito/SP, 16/03/2002.