Antonio Roque Citadini


O Corinthians ganhou no campo o direito de participar do Campeonato Paulista em 1913. Competiu pela Liga Paulista de Futebol, rival da Associação Paulista de Esportes Atléticos, que também promovia um campeonato. Por reunir os clubes da elite paulistana, o campeonato da Associação tinha mais prestígio e na prática monopolizava as atenções da imprensa.

Os jogos da Liga quase não apareciam no noticiário. Nada de reportagens e às vezes nem a informação simples do jogo e de seu resultado. Nesse ambiente deu-se a (má) estréia do Corinthians. Ficou em penúltimo lugar. O embrião da Nação Corintiana não se abateu com a sofrível performance.

Longe disso. Reformulou o elenco (Neco que disputara só a última partida foi promovido a titular desde o início), aprimorou os treinos e assim venceu todos os adversários. O então chamado “Bando dos Calções Pretos” tornou-se o Campeão Invicto de 1914.



CAMPEONATO PAULISTA DE 1914 (LIGA PAULISTA DE FUTEBOL)

    12/4/1914 - Corinthians 6 x 0 Lusitano (Gols de Neco (3), Apparício e Peres (2);
    10/5/1914 – Corinthians 1 x 0 Internacional (Gol: Neco);
    17/5/1914 – Corinthians 2 x 1 Minas Gerais (Gols: Américo e Neco);
    21/6/1914 – Corinthians 3 x 1 Germânia (Gols: Américo, Neco e Apparício);
    14/7/1914 – Corinthians 5 x 1 Campos Elíseos (Gols: Peres, César Nunes (irmão de Neco), Bianco (2) e Police;
    26/7/1914 – Corinthians 4 x 1 Hydercroft (Jundiaí) (Gols: João, César Nunes, Apparício e Peres);
    13/9/1914 – Corinthians 4 x 2 Internacional (Gols: Bianco (2), Amílcar e Neco);
    27/9/1914 – Corinthians 3 x 1 Minas Gerais (Gols: Neco (3));
    8/11/1914 – Corinthians 4 x 0 Campos Elíseos (Gols: Apparício, Neco, Police e Peres);
    15/11/1914 - Corinthians 3 x 0 Lusitano (Gols: Neco, Amílcar e Apparício).
    Local das partidas: O campeonato da LPF era todo disputado no Parque Antárctica.
    Composição da equipe campeã: Aristides, Fulvio e Casemiro; Police, Bianco e César; Américo, Peres, Amílcar, Apparício e Neco.
    Artilheiro: Neco, 12 gols.


O Expresso, Capão Bonito/SP, 19/01/2002.