Da Redação

O Tribunal de Contas de São Paulo determinou ontem que o ex-govemador José Maria Marin devolva aos cofres públicos NCz$ 150 mil relativos a gastos efetuados em maio de 1982, quando governava o Estado. Sob a presidência do conselheiro Roque Citadini, o tribunal considerou irregulares as despesas de Cr$8,7 milhões (cerca de US$ 50 mil, na época) com festas, recepções e jantares.

José Maria Marin encontra-se nos Estados Unidos, em cidade ignorada, conforme informou à Folha, por telefone, às 19h30 de ontem, o guarda de sua residência.

Os conselheiros do Tribunal decidiram isentar de responsabilidade pelas despesas a funcionária Satiko Ikeda Asano, que adiantou as verbas, e o, então chefe da Casa Civil, Calim Eid, por entender que eles apenas cumpriam ordens. Na relação dos gastos, Citadini enumerou 13 eventos festivos, entre coquetéis, almoços e jantares. Entre os dias 25 e 31 de maio de 1982, o então governador ofereceu almoços e jantares a pelo menos 1.380 pessoas, sempre com 12 ou 15 garçons. Somente no dia 28, Marin almoçou e jantou com 300 convidados.


Os eventos com maior número de convidados foram um almoço no dia 28, para 200 pessoas, e três almoços, para 170 pessoas cada, nos dias 25, 27 e 31. Os outros almoços e jantares tiveram em torno de cem convidados.

Folha de S.Paulo, 30-06-1989, p. A-4.